SUSSURROS – Por Orual Ojellav

Por Orual Ojellav

“As luzes coloridas do entardecer, anunciaram a chegada da noite.

Lentamente o seu manto foi cobrindo a trilha na mata adentro.

O canto das cigarras foi substituído pelo grito dos curiangos,

ao compasso de um coral de grilos e sob as luzes intermitentes dos pirilampos.

Mantive meu passo sem temor.

O clarão da lua cheia iluminava tudo ao redor.

Logo cheguei ao portal que dava acesso à gruta dourada.

Acendi um archote e penetrei, descendo com cuidado.

Não demorei a chegar.

Estalei os dedos e, como que por mágica, o salão se iluminou.

Desloquei-me ao centro do pentagrama, desenhado no meio da mandala de pedras coloridas incrustradas no chão.

Fiquei aguardando, enquanto penetrava em minhas dimensões interiores.

O reflexo do luar começou a penetrar pela pequena abertura no topo da caverna.

Em instantes, a lua se mostrou por inteiro, plena, linda, misteriosa…

As labaredas do fogo ao centro da mandala, pareciam querer galgar o espaço iluminado pelo luar.

Foram lapsos de tempo.

Partículas atemporais na geometria sagrada do meu templo interior.

O tempo parou.

Momento sublime do encontro das três figuras que compõe o meu eu: o pai, o adulto e a criança.

Harmonicamente alinhados e integrados em um só.

De imediato, o que era apenas sussurros, se fez nítido e claro em minha mente e em meu coração.

A minha alma desperta e consciente, estava envolta pelas vibrações da quinta dimensão.

Não sentia meu corpo físico, nem sentia o chão.

Sussurros!

Na verdade, não eram sussurros…

Era o som cadenciado do bater de meu coração, integrado no pulsar da minha Divina Presença Eu Sou.

Estava numa dobra do tempo.

Tinha alcançado o ponto oposto de minha existência interdimensional…

Pentagrama de Luz

Sussurros!

A voz da Grande Consciência Cósmica ecoando em mim, qual grito do amor eterno.

Audível somente na pura essência do ser…

É preciso despertar a mente e o espírito, expandindo a consciência.

Permitir que o Amor preencha todo o nosso ser.

Caso contrário, serão sempre, apenas…

Sussurros…”

(Orual Ojellav – Série Pensamentos – 28/01/2018)

Copyright © 1987–2018 texto de Lauro Escobosa Vallejo

™ All rights reserved

________________________________________________

Sobre o autor:

Lauro Escobosa Vallejo, executivo de Bancos multinacionais, financista, espiritualista universalista.

P.S.: Os conceitos emitidos por artigos ou por textos assinados e publicados neste jornal são de inteira responsabilidade de seus respectivos autores.

______________________________

Mensagem do editor:

Textos e imagens de propriedade do Jornal Caboclo podem ser reproduzidos de modo parcial, desde que os créditos autorais sejam devidamente citados.

Comuniquem-nos, por favor, de possíveis correções

____________________________

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial