Lebon Régis é por Lei a Cidade Coração do Contestado” – Por Edison Porto

A Lei Nº 17.466 de 10-jan-18 reconheceu o Município de Lebon Régis como a Cidade Coração do Contestado

Por Edison Porto

A Região do Contestado tem este nome por ter sido palco de sangrentos episódios de uma guerra, conhecida por Guerra do Contestado, quase desconhecida dos brasileiros. Mas que foi um grande conflito que correu entre os anos de 1912 e 1916 oficialmente, porém com uma matança que continuou até 1918.

O território do Município de Lebon Régis foi manchado de sangue por terríveis batalhas e por um verdadeiro massacre por parte do Exército Brasileiro, indevidamente usado contra uma população civil mal armada e sem treinamento militar, que morta era incinerada em fornos crematórios 30 anos antes desta prática ser usada pelos nazistas na Europa. Em Lebon Régis, há o Crematório das Perdizinhas que pode ser visitado e conta com registros nos arquivos do Exército.

Cavaleiros do Contestado e a personagem Maria Rosa

Foi lá também que surgiu uma jovem heroína de apenas 13 anos, Maria Rosa, ela salvou muitas pessoas e no Reduto Caraguatá comandou a tropa cabocla que rechaçou as tropas militares.

Cepo Centenário que restou da Igreja incendiada pelo Exército na Serra da Esperança

Tanta violência deixou uma injusta má fama ao Município que raramente aparece nas páginas policiais como acontece com seus vizinhos, mas tem sido difamada como cidade de gente violenta, obviamente resquício da malfadada guerra.

Depois de cerca de 80 anos de silêncio total sobre esta Guerra, com a redemocratização do Brasil, historiadores e pesquisadores começaram a resgatar estes acontecimentos da história. Ao completar 100 anos, esta história passou a ser fortemente pesquisada, resgatada, debatida, denunciada, não só por especialistas graduados, mas também por cidadãos comuns que perceberam a importância de levantar a verdade e contar ao Brasil e ao mundo sobre a guerra fraticida que vitimou, nas mais modestas estimativas, mais de 20.000 brasileiros, mas que nas estimativas mais realistas se fala em cerca de 100.000 mortos.

Foi assim que nasceu a Associação Cultural Coração do Contestado, composta por pessoas comuns, trabalhadores da indústria, comércio e agricultura que vêm se dedicando a estudar tudo o que já se levantou sobre esta guerra, por historiadores, escritores e folcloristas, saindo a campo para pesquisas em sítios arqueológicos e conversas com descendentes dos combatentes.

A Associação conta com o apoio de vários especialistas no tema, com destaque entre eles para o Dr. Prof. Nilson Cesar Fraga da Universidade Federal de Londrina PR e sempre contou com a voz entusiasmada do recentemente falecido folclorista Vicente Telles, conhecido como o Mensageiro do Contestado.

Pouso do Monge na Serra da Boa Esperança

Apenas 9 dias antes de sua morte, Vicente recebeu em sua casa, no dia 19-dez, o presidente da Associação Cultural Coração do Contestado, Carlos Silva e o Sr. Carlito Santos, descendente de família de Taquarussú, também importante reduto. Carlito tem dois tios-avôs na famosa “Vala dos 21”, onde ficaram os corpos de combatentes do Irani, onde vivia o folclorista, músico, poeta e pesquisador.

Uma vez cunhada a expressão “Coração do Contestado”, foi criada uma logomarca para ela e se buscou o apoio do Sr. Prefeito Douglas Mello, para que o Município ganhasse este merecido título, não só pela sua central localização geográfica, mas principalmente em homenagem aos que nele tombaram lutando pelos seus direitos a uma vida digna na terra em que moravam.

Bandeira do Contestado em espaços públicos é Lei.

Esta iniciativa levou o Deputado Rodrigo Minotto a apresentar o Projeto de Lei Nº 0108/2017 para o reconhecimento de Lebon Régis como a Cidade Coração do Contestado, o que teve apoio das comissões de Constituição e Justiça; e de Educação, Cultura e Desporto, obtendo a aprovação em primeiro turno na votação da Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina no dia 08 de janeiro de 2018.

Dois dias depois o Governador João Raimundo Colombo sancionou a Lei Nº 17.466 reconhecendo o Município de Lebon Régis como a “Cidade Coração do Contestado”, região metropolitana oficializada também pelo Governador em 2012, abrangendo 45 municípios.

Para a Associação este título é como um pontapé inicial de um ousado projeto turístico que se desenha para Lebon Régis!

Informações sobre a Associação com seu Presidente, Sr. Carlos Silva (o Nedi), telefone: (049) 98839-8701.

 

 

 

 

 

________________________________________________

Sobre o autor:

Edison Porto, administrador pela Eaesp/FGV, MBA em Finanças pelo IBMEC-SP, bacharelando em Direito e Jornalismo. Membro da Associação dos Amigos do Museu do Contestado de Caçador, da Associação Cultural Coração do Contestado de Lebon Régis e da ACIJO  Associação Caçadorense de Imprensa. Ocupa a cadeira nº10 da Academia Caçadorense de Música.

P.S.: Os conceitos emitidos por artigos ou por textos assinados e publicados neste jornal são de inteira responsabilidade de seus respectivos autores.

______________________________

Mensagem do editor:

Textos e imagens de propriedade do Jornal Caboclo podem ser reproduzidos de modo parcial, desde que os créditos autorais sejam devidamente citados.

Comuniquem-nos, por favor, de possíveis correções.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial